Avançar para o conteúdo principal

Resoluções...

Acho bonita a ideia de fazer resoluções e gostava de ter as minhas.
Mas a vida deu voltas e de certa forma passou-me a perna para que a única resolução que eu possa fazer seja, no fundo, voltar atrás. Parece irónico mas a verdade é que voltar atrás é a melhor opção neste momento.
Voltar para quando não se discutia por tudo e por nada.
Voltar para a união a dois que existia e agora parece estar um pouco perdida.
Voltar para a família unida.
Voltar para uma vida a dois que embora alterada pela chegada de um bebé muito amado, pode ainda ser recuperada em pleno.
Voltar para as alegrias partilhadas com entusiasmo.
Voltar para as risadas e brincadeiras parvas.
Voltar para nós.
É isto. Resumindo é mesmo isto. Voltar para nós.
Este ano de 2016 foi demasiado intenso para não chegarmos ao fim completamente exaustos. Chegamos cansados demais para o fazermos de uma forma suave. Foi o ano onde a vida como a conhecíamos mudou radicalmente. As nossas prioridades, as nossas preocupações, as nossas dúvidas mudaram e instalaram-se sem as podermos processar devidamente. Disse, e continuo a dizer o mesmo, que 2016 foi um ano com saldo positivo, principalmente pela chegada do nosso bebé. E por isso tenho este ano guardado em mim com todo o carinho. Mas foi o ano mais intenso e de emoções para lá de fortes, que tivemos.
Também por isso o começo de 2017 foi atribulado. Havia demasiada coisa contida que teve de sair. Foi duro mas positivo. Chegamos onde tínhamos de chegar. Parar para perceber o que estávamos a fazer mal para agora fazer bem. Temos um ano inteiro pela frente. Temos uma vida inteira para não nos deixarmos abater novamente.
Feliz 2017 para todos, mas neste momento, um Feliz 2017 especialmente para Nós.

Comentários

  1. Uau, a chegada de um filho tem um saldo negativo nas relacoes dos pais muitas vezes, como casal, ja ouvi falar disso tantas vezes, em poucos casos vejo as pessoas a dizerem que nao os atrapalhou como casal. Mas o que importa ja fizeram, ver e consertar. Boa sorte e felicidades aos dois/tres.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada! O que tem de bom é isso, conseguir corrigir a tempo algo que incomoda. Fica um sentimento de dever cumprido, afinal a vida é mesmo assim...e nós temos é de saber dar-lhe a volta :-)

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Dos chefes que não deviam ser chefes

Hoje não estou 100% e portanto vou desabafar um pouco. Há pessoas que, por vários motivos (justos e outras vezes nem tanto), são chefes mas que não deviam ser. Não deviam ser porque simplesmente não têm capacidade para o serem. Falta-lhes uma componente muito importante que é saber gerir recursos humanos.
Estes recursos que por acaso são Humanos, como o próprio nome indica, são recursos que não podem ser utilizados todos da mesma forma, nem podem ser avaliados (palavra que estes chefes tanto adoram) todos da mesma forma e porquê? Porque as pessoas não são todas iguais. Ora isto parece óbvio mas a verdade é que há pessoas que desconhecem esta verdade que afinal não é assim tão absoluta.
Há chefes que não têm a sensibilidade de perceber o que está à sua frente, às vezes está tão à frente que enerva, e que por esse motivo erram no julgamento, na avaliação e no tratamento dessa pessoa. Acho muito mau e acho que devia ser obrigatório uma formação de vez em quando sobre como lidar com pessoas…

Melhor coisa do mundo

Quando o nosso bebé nos dá aquele abraço apertado. Quando nos dá aquele beijinho que só ele sabe dar e que é um misto de ferradela e lambidela. Quando se põe em pé pela primeira vez no berço a olhar para nós como quem diz "o próximo passo vai ser conseguir sair daqui". Quando abre aquele sorriso lindo quando nos vê chegar. Quando faz aquele sorriso malandro (também lindo) por estarmos a pegar com ele. Quando solta umas gargalhadas contagiantes por estarmos a dizer uma palavra que ele considera muito engraçada. E a lista continuava porque a melhor coisa do mundo é ver o nosso filho tão feliz. Amo-te bebé.


Bebé e a tecnologia/tv

Cada vez mais leio opiniões de várias pessoas, com e sem bebés, sobre o uso de telemóveis ou outro equipamento para sossegar os mais pequenos. E sempre que termino de ler penso a mesma coisa. Será que estas pessoas nunca ligaram o telemóvel com uma música que o bebé gosta para o acalmar? Será que estas pessoas nunca puseram o bebé a ver tv para que ele comesse melhor a sopa/refeição sem ser aos soluços ou aos berros. Será que estas pessoas nunca estiveram num restaurante a tentar comer o seu prato com o bebé ao lado aos prantos e profundamente desconsolado porque falar com ele só não o acalma? Que sorte que estas pessoas têm. Eu não tenho. Eu preciso de vez em quando recorrer a estas ajudas para conseguir que o meu bebé acalme e consiga comer. Eu prefiro que ele veja um pouco de tv do que não coma nada ou vomite o que comeu por estar sempre a chorar. Mas isso sou eu. Posso estar errada, mas prefiro mesmo. Claro que não é uma fixação no telemóvel ou na tv. É por momentos e bastante rápido. M…