Avançar para o conteúdo principal

Mulheres com medo de conduzir

Tenho reparado que há um certo número de mulheres que não conduzem por causa do medo que lhes tira a capacidade de reacção. Eu compreendo, conheço bem quem tenha esse medo, mas uma coisa é certa...não precisam de ter medo, apenas têm de enfrentá-lo.

Vejam isto:
-> Quando comecei a conduzir tinha um carro que parava no meio da rua porque tinha de lhe "abrir o ar". E o que é abrir o ar perguntam vocês, pois não sei bem mas parece que os carros antigos tinham uma coisa que tinha de ser aberta ou ele não andava. E lá ficava eu a parar o trânsito com buzinadelas como música de fundo. Para ajudar, volta e meia ficava com a bolinha da manete das mudanças na mão e tinha de prosseguir caminho com a mão no ferro. 

-> Depois mudei de carro e problemas desses deixei de ter. Mas para compensar já tive de conduzir debaixo de um temporal imenso e fiquei sem limpa pára-brisas. Medo. Tive de parar de 2 em 2 minutos para ir limpar "manualmente" o vidro para conseguir andar mais uns metros :/ isto em plena via rápida, onde nem sequer é suposto parar.

-> Tive também a oportunidade de conduzir, debaixo de um outro temporal assustador, onde a única coisa que via eram as luzes vermelhas do carro da frente, não via estrada, não via as curvas, não via nada :/ foi uma das viagens mais longas que fiz. Nem o rádio com o som no máximo conseguia abafar o barulho ensurdecedor dos trovões.

Ou seja, há um mundo de peripécias que podem acontecer enquanto estamos a conduzir que minimizam o medo que temos das coisas normais. Espero que nunca nada de pior aconteça, mas quanto mais coisas destas acontecem mais se relativiza o medo/receio de conduzir. Ficamos preparadas para tudo :)


Comentários

  1. Como eu te percebo! Era uma medricas do pior mas depois deixei-me disso e foi o melhor que fiz...por mais sustos e momentos de condução difíceis nunca mais larguei a condução ;)

    Beijinho*

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

"He's Just Not That Into You" que filme do caraças!

O filme "He's Just Not That Into You" é um filme de 2009 mas esta imensamente atual. Eu diria até que é daqueles filmes intemporais, porque o fundo das relações continua o mesmo, os mesmos receios, dúvidas, esperanças e enganos que ainda se vivem nos dias de hoje. Ontem revi este filme e mais uma vez adorei. E até chorei! Numa das últimas cenas do Ben Affleck com a Jennifer Aniston (quem já viu sabe perfeitamente do que estou a falar :)) e quem não viu tem de ver! Chorei porque é verdadeiramente bonito, emocionante e tão aquilo que as relações devem ser, que não deu para evitar uma lagrimazita de emoção. Neste filme, como em outros do género, encontramos vários casais, cada um a atravessar uma fase diferente da relação. Temos encontros falhados, falsas esperanças, traição, novas paixões, amizade colorida ou amizade "interesseira" por assim dizer. Enfim encontra-se mesmo de tudo neste filme. Quem não conhece faça lá o favor de ver porque não se vai arrepender ;) E …

Mães trabalhadoras e Fit por aí?

Ser mãe e trabalhar não é só complicado pela parte de ter de deixar o bebé no infantário ou com os avós e desaparecer umas 8h :( também é complicado porque quando se quer fazer alguma coisa tipo...exercício físico...parece que não há nenhum tempo disponível e isso desmotiva :( Ter motivação para ir a um ginásio já é o que é, mas com esta falta de tempo, porque todo o tempo livre se quer aproveitar com o bebé, fica ainda mais difícil!! Digam-me como fazem. Que é como quem diz conselhos precisam-se :) Conseguem ir ao ginásio? Correm na rua? Vão numa hora em que o bebé ainda está no infantário? Deixam com os avós? Deixam com o pai? Fazem exercício só com os olhos? (este pratico bastante ah ah ah). As alternativas parecem muitas, mas vai-se a ver e meia dúzia delas não são fáceis de gerir. E qual é o resultado? Ser mãe trabalhadora não Fit :D

Amamentação - a minha experiência

Sei que este pode ser um assunto polémico. Existem várias opiniões acerca da amamentação, se se deve ou não amamentar, se faz diferença para o bebé, se sim por quanto tempo se deve fazer...enfim há opiniões para todas as hipóteses, inclusive os próprios médicos também se dividem. Mas este post não é sobre polémicas, é apenas sobre a minha experiência e a forma como consegui não desistir quando a coisa parecia que não se ia dar. Eu sempre quis amamentar. Li alguns livros onde falava sobre assunto e sentia que de certa forma estava preparada para quando chegasse o dia. Mas quando chegou deparei-me logo com a primeira dificuldade. O meu bebé não sabia mamar. Penso que é normal, mas eu achava que os bebés já sabiam todos como fazer, os chamados reflexos que eles já trazem. O meu pequenino tentava mas demorava imenso a conseguir fazer a chamada pega. Quando conseguia fazia a sucção na perfeição mas até conseguir era o cabo dos trabalhos. Eu já me imaginava em casa a demorar horas até consegui…