Avançar para o conteúdo principal

Hora de filosofar (1#)

Decidi filosofar sobre questões que me incomodam de forma a desabafar o que aqui vai dentro.

E a primeira questão é a excessiva necessidade que algumas pessoas têm em mostrar trabalho. Eu explico.
Todos temos um horário de trabalho, todos temos tarefas para desempenhar dentro desse horário e claro que uns conseguem e outros nem sempre. Mas o problema não é esse. O problema são aquelas pessoas que claramente já acabaram o seu trabalho (porque os dias não são todos iguais e nem toda a gente está entupida de tarefas sempre) e continuam sentadinhos no seu lugar mesmo após o horário de trabalho ter acabado. E porquê? Porque sair cedo dá nas vistas, ou porque o chefe/patrão ainda não saiu e parece mal sair antes dele, ou porque há uma certa pessoa que tem de sair primeiro e só depois se pode sair tranquilamente. Ah?? Isso é normal??
Eu nunca pensei assim, eu sou muito consciente das minhas tarefas, das minhas reponsabilidades, gosto de chegar cedo ao trabalho, a bater na hora de entrada ou de preferência um pouco antes, mas também gosto de sair cedo, tenho outras responsabilidades fora do trabalho também e assim que posso saio. Não fico à espera que outros também saiam, ou que o chefe vá embora. Não acho isso normal e custa-me muito aceitar que existam pessoas que o façam, mas sei que sim porque convivo com isso diariamente. E para mim isso resume-se a querer mostrar trabalho, mostrar "eu fico sempre até tarde porque eu trabalho". Acho muito mal quem pensa assim, mas se é assim que são felizes força. No entanto também sei que do lado dos patrões, aos seus olhos, nem sempre quem fica até tarde é aquele que trabalha...mas vamos deixar que quem o faz acredite que os patrões apreciam. Vamos deixar.

Comentários

  1. Oh gente mesquinha! No fim, se tiverem de ser despedidos como os outros, são e pronto.

    ResponderEliminar
  2. Olha, eu nunca fiquei até mais tarde, e sempre tive o meu trabalho em dia!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

"He's Just Not That Into You" que filme do caraças!

O filme "He's Just Not That Into You" é um filme de 2009 mas esta imensamente atual. Eu diria até que é daqueles filmes intemporais, porque o fundo das relações continua o mesmo, os mesmos receios, dúvidas, esperanças e enganos que ainda se vivem nos dias de hoje. Ontem revi este filme e mais uma vez adorei. E até chorei! Numa das últimas cenas do Ben Affleck com a Jennifer Aniston (quem já viu sabe perfeitamente do que estou a falar :)) e quem não viu tem de ver! Chorei porque é verdadeiramente bonito, emocionante e tão aquilo que as relações devem ser, que não deu para evitar uma lagrimazita de emoção. Neste filme, como em outros do género, encontramos vários casais, cada um a atravessar uma fase diferente da relação. Temos encontros falhados, falsas esperanças, traição, novas paixões, amizade colorida ou amizade "interesseira" por assim dizer. Enfim encontra-se mesmo de tudo neste filme. Quem não conhece faça lá o favor de ver porque não se vai arrepender ;) E …

Mães trabalhadoras e Fit por aí?

Ser mãe e trabalhar não é só complicado pela parte de ter de deixar o bebé no infantário ou com os avós e desaparecer umas 8h :( também é complicado porque quando se quer fazer alguma coisa tipo...exercício físico...parece que não há nenhum tempo disponível e isso desmotiva :( Ter motivação para ir a um ginásio já é o que é, mas com esta falta de tempo, porque todo o tempo livre se quer aproveitar com o bebé, fica ainda mais difícil!! Digam-me como fazem. Que é como quem diz conselhos precisam-se :) Conseguem ir ao ginásio? Correm na rua? Vão numa hora em que o bebé ainda está no infantário? Deixam com os avós? Deixam com o pai? Fazem exercício só com os olhos? (este pratico bastante ah ah ah). As alternativas parecem muitas, mas vai-se a ver e meia dúzia delas não são fáceis de gerir. E qual é o resultado? Ser mãe trabalhadora não Fit :D

Amamentação - a minha experiência

Sei que este pode ser um assunto polémico. Existem várias opiniões acerca da amamentação, se se deve ou não amamentar, se faz diferença para o bebé, se sim por quanto tempo se deve fazer...enfim há opiniões para todas as hipóteses, inclusive os próprios médicos também se dividem. Mas este post não é sobre polémicas, é apenas sobre a minha experiência e a forma como consegui não desistir quando a coisa parecia que não se ia dar. Eu sempre quis amamentar. Li alguns livros onde falava sobre assunto e sentia que de certa forma estava preparada para quando chegasse o dia. Mas quando chegou deparei-me logo com a primeira dificuldade. O meu bebé não sabia mamar. Penso que é normal, mas eu achava que os bebés já sabiam todos como fazer, os chamados reflexos que eles já trazem. O meu pequenino tentava mas demorava imenso a conseguir fazer a chamada pega. Quando conseguia fazia a sucção na perfeição mas até conseguir era o cabo dos trabalhos. Eu já me imaginava em casa a demorar horas até consegui…