Avançar para o conteúdo principal

Hora de filosofar (1#)

Decidi filosofar sobre questões que me incomodam de forma a desabafar o que aqui vai dentro.

E a primeira questão é a excessiva necessidade que algumas pessoas têm em mostrar trabalho. Eu explico.
Todos temos um horário de trabalho, todos temos tarefas para desempenhar dentro desse horário e claro que uns conseguem e outros nem sempre. Mas o problema não é esse. O problema são aquelas pessoas que claramente já acabaram o seu trabalho (porque os dias não são todos iguais e nem toda a gente está entupida de tarefas sempre) e continuam sentadinhos no seu lugar mesmo após o horário de trabalho ter acabado. E porquê? Porque sair cedo dá nas vistas, ou porque o chefe/patrão ainda não saiu e parece mal sair antes dele, ou porque há uma certa pessoa que tem de sair primeiro e só depois se pode sair tranquilamente. Ah?? Isso é normal??
Eu nunca pensei assim, eu sou muito consciente das minhas tarefas, das minhas reponsabilidades, gosto de chegar cedo ao trabalho, a bater na hora de entrada ou de preferência um pouco antes, mas também gosto de sair cedo, tenho outras responsabilidades fora do trabalho também e assim que posso saio. Não fico à espera que outros também saiam, ou que o chefe vá embora. Não acho isso normal e custa-me muito aceitar que existam pessoas que o façam, mas sei que sim porque convivo com isso diariamente. E para mim isso resume-se a querer mostrar trabalho, mostrar "eu fico sempre até tarde porque eu trabalho". Acho muito mal quem pensa assim, mas se é assim que são felizes força. No entanto também sei que do lado dos patrões, aos seus olhos, nem sempre quem fica até tarde é aquele que trabalha...mas vamos deixar que quem o faz acredite que os patrões apreciam. Vamos deixar.

Comentários

  1. Oh gente mesquinha! No fim, se tiverem de ser despedidos como os outros, são e pronto.

    ResponderEliminar
  2. Olha, eu nunca fiquei até mais tarde, e sempre tive o meu trabalho em dia!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Dos chefes que não deviam ser chefes

Hoje não estou 100% e portanto vou desabafar um pouco. Há pessoas que, por vários motivos (justos e outras vezes nem tanto), são chefes mas que não deviam ser. Não deviam ser porque simplesmente não têm capacidade para o serem. Falta-lhes uma componente muito importante que é saber gerir recursos humanos.
Estes recursos que por acaso são Humanos, como o próprio nome indica, são recursos que não podem ser utilizados todos da mesma forma, nem podem ser avaliados (palavra que estes chefes tanto adoram) todos da mesma forma e porquê? Porque as pessoas não são todas iguais. Ora isto parece óbvio mas a verdade é que há pessoas que desconhecem esta verdade que afinal não é assim tão absoluta.
Há chefes que não têm a sensibilidade de perceber o que está à sua frente, às vezes está tão à frente que enerva, e que por esse motivo erram no julgamento, na avaliação e no tratamento dessa pessoa. Acho muito mau e acho que devia ser obrigatório uma formação de vez em quando sobre como lidar com pessoas…

Melhor coisa do mundo

Quando o nosso bebé nos dá aquele abraço apertado. Quando nos dá aquele beijinho que só ele sabe dar e que é um misto de ferradela e lambidela. Quando se põe em pé pela primeira vez no berço a olhar para nós como quem diz "o próximo passo vai ser conseguir sair daqui". Quando abre aquele sorriso lindo quando nos vê chegar. Quando faz aquele sorriso malandro (também lindo) por estarmos a pegar com ele. Quando solta umas gargalhadas contagiantes por estarmos a dizer uma palavra que ele considera muito engraçada. E a lista continuava porque a melhor coisa do mundo é ver o nosso filho tão feliz. Amo-te bebé.


Bebé e a tecnologia/tv

Cada vez mais leio opiniões de várias pessoas, com e sem bebés, sobre o uso de telemóveis ou outro equipamento para sossegar os mais pequenos. E sempre que termino de ler penso a mesma coisa. Será que estas pessoas nunca ligaram o telemóvel com uma música que o bebé gosta para o acalmar? Será que estas pessoas nunca puseram o bebé a ver tv para que ele comesse melhor a sopa/refeição sem ser aos soluços ou aos berros. Será que estas pessoas nunca estiveram num restaurante a tentar comer o seu prato com o bebé ao lado aos prantos e profundamente desconsolado porque falar com ele só não o acalma? Que sorte que estas pessoas têm. Eu não tenho. Eu preciso de vez em quando recorrer a estas ajudas para conseguir que o meu bebé acalme e consiga comer. Eu prefiro que ele veja um pouco de tv do que não coma nada ou vomite o que comeu por estar sempre a chorar. Mas isso sou eu. Posso estar errada, mas prefiro mesmo. Claro que não é uma fixação no telemóvel ou na tv. É por momentos e bastante rápido. M…