Avançar para o conteúdo principal

A importância de nos lerem

Este título podia ter dois significados.
1- A importância de lerem aquilo que escrevemos, ou
2- A importância de nos saberem interpretar.

Mas esta reflexão (quase) filosófica é mesmo sobre a primeira hipótese.
Eu durante muito tempo, posso dizer anos, escrevi muitos textos que ninguém leu. Escrevi porque sim, porque precisava, por terapia, por desabafo, por muitos outros motivos que nos levam a pôr numa folha tudo o que sentimos. Mas a verdade é que foram raras as vezes em que alguém os leu. Já li algumas partes em voz alta para que me ouvissem. Mas só isso. O resto ficou guardado.
E um dia decidi iniciar este blog. Não para colocar aqui esses textos, ou desabafar aqui, mas principalmente para que me pudessem ler. Não que eu tenha algo interessante para dizer sobre todos os assuntos, ou que possa fazer a diferença para quem me lê, mas sim porque senti que o processo de escrever sem que alguém pudesse ler pareceu-me triste. É como um livro pousado que nunca foi lido. Sempre preferi muito mais ler um livro emprestado ou emprestar a alguém, para que esse livro pudesse ser lido por mais do que uma pessoa, do que ter nas mãos um livro completamente novo. Sempre pensei que empresta-lo depois de o ler o valorizava ainda mais. Dava outro vida àquelas páginas.
E com os textos, sejam mais profundos ou não, sobre assuntos pessoais ou um simples comentário sobre um determinado tema, acontece o mesmo, ou seja, acho que se são escritos devem ser lidos. Mesmo que não cause nenhum impacto. Devem ser lidos. É para isso que são escritos, é a sua finalidade, alguém deve ler. Ou poder ler. É isto...pelo menos ter a hipótese de ler.
Pela parte que me toca obrigada por me lerem :)

Comentários

  1. Eu gosto imenso de ler e de saber que sou lida!

    ResponderEliminar
  2. Acho que toda a gente que escreve um blog é porque quer que leiam o que escrevem, nem que seja uma única pessoa. :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Clínica Privada (última temporada) :-(

Então não é que a temporada 6 da Clínica Privada que começou este mês é a última temporada?!  Fiquei triste porque esta é uma das séries que vejo religiosamente desde o primeiro episódio que deu em conjunto com a Anatomia de Grey, e agora vai acabar :( A Kate Walsh, que faz a personagem principal Dra. Addison Montgomery, anunciou a sua saída da série no final desta temporada e então a criadora Shonda Rhimes não teve outra hipótese a não ser "acabar" com a série pois sem a personagem principal esta não fazia sentido e já tinham atingido o ponto alto de criatividade neste trabalho. Não foi bem isto que ela disse mas foi isto que eu percebi e concordo porque de facto já não ia ser a mesma coisa, para mim "Clínica Privada" é sinónimo de "Dra. Addison Montgomery".

Mas, por outras razões, a Shonda Rhimes tem sido alvo de duras críticas por decidir "matar" algumas personagens pelo facto de os actores quererem abandonar as séries, segundo os críticos exist…

Clínica Privada - Final

No seguimento deste post estou agora em condições de falar sobre o final da série Clínica Privada uma das minhas séries de eleição nos últimos tempos. E a qual fiquei muito desgostosa ao saber que esta ia ser a última temporada.
Mas tenho a dizer que Adorei esta temporada, deu o merecido destaque a cada personagem, fazendo até uma espécie de homenagem a cada um. No geral gostei do final de todas com excepção da personagem Sam Bennett, porque acho que não fez sentido aquele voltar ao passado quando no presente ele tinha tido uma segunda oportunidade com uma personagem que merecia um final feliz apesar de ter aparecido pouco na série (tentei não revelar muito para quem ainda não viu e quer surpreender-se :) )mas não foi isso que aconteceu e deixou-me um bocado chateada. Mas fora isso gostei mesmo muito do desenrolar da história, continuei a adorar a personagem Jake Reilly e a gostar cada vez mais da Charlotte King (grande actriz). E claro a sempre espectacular Addison que continuo a acredi…

Frase Linda!!

Adoro esta frase:

Mamã já tiveste um sonho? Já. E agora? Agora ele está ao meu lado a fazer-me perguntas.